quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Apenas um texto e nada mais.

Não é poesia
Não é crônica
Não é nada rotulado
Nada tão básico ou tão importante assim
São apenas sentimentos
Se é que podemos colocar a palavra "apenas" neste contexto
O que acontece, ou acontecerá, não sei.
É, será, uma simples prova de humanismo.
Um ato único, que se divide em milhares.
Cada qual com sua importância
Em cada palavra lançada
Em cada gesto expressado
Em cada olhar além
Terá uma parte mais pura
Mas sincera e cheia de amor
De minha parte
Passo tinta branca sobre os borrões do passado
Perdão? Não sei, acho que a palavra não seria esta.
Não para este texto
Cabe mais neste caso a palavra: Deus.
E que palavra melhor poderia encontrar, para qualquer coisa?
Deus está em mim, Deus está em vôcê, está em tudo e todos.
Cada um de nós temos "Ele" dentro de nós mesmos
Então, por que julgar?
Por que desferir toda minha mágoa, e talvez meu ódio contido; em um ser humano.?
Por pior que ele seja, há um Deus dentro dele também.
Aos meus supostos inimigos, dou meu amor.
Pois desta forma, me amo mais.
E desarmo os golpes que me atingiriam
Hoje, entendo tudo.
Não preciso aceitar, não preciso seguir, e sim entender.
A maior dádiva do homem é a vida
E a minha não será desperdiçada
Minhas alegrias, minhas tristezas, só eu viverei.
Portanto, chegou a hora de erguer a cabeça.
Seguir em frente, rodeando os outros com bondade.
Com palavras amorosas
Não, jamais ser feito de bobo, não mais.
Mas dando um tapa com luva de pelica
A vocês, meu sincero: Muito Obrigado.

Um comentário:

Danillo disse...

Eu que Agradeço