quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Amazônia Para Sempre.





CARTA ABERTA DE ARTISTAS BRASILEIROS SOBRE A DEVASTAÇÃO DA AMAZÔNIA



Acabamos de comemorar o menor desmatamento da Floresta Amazônica dos últimos três anos: 17 mil quilômetros quadrados. É quase a metade da Holanda. Da área total já desmatamos 16%, o equivalente a duas vezes a Alemanha e três Estados de São Paulo. Não há motivo para comemorações. A Amazônia não é o pulmão do mundo, mas presta serviços ambientais importantíssimos ao Brasil e ao Planeta. Essa vastidão verde que se estende por mais de cinco milhões de quilômetros quadrados é um lençol térmico engendrado pela natureza para que os raios solares não atinjam o solo, propiciando a vida da mais exuberante floresta da terra e auxiliando na regulação da temperatura do Planeta.


Depois de tombada na sua pujança, estuprada por madeireiros sem escrúpulos, ateiam fogo às suas vestes de esmeralda abrindo passagem aos forasteiros que a humilham ao semear capim e soja nas cinzas de castanheiras centenárias. Apesar do extraordinário esforço de implantarmos unidades de conservação como alternativas de desenvolvimento sustentável, a devastação continua. Mesmo depois do sangue de Chico Mendes ter selado o pacto de harmonia homem/natureza, entre seringueiros e indígenas, mesmo depois da aliança dos povos da floresta “pelo direito de manter nossas florestas em pé, porque delas dependemos para viver”, mesmo depois de inúmeras sagas cheias de heroísmo, morte e paixão pela Amazônia, a devastação continua.


Como no passado, enxergamos a Floresta como um obstáculo ao progresso, como área a ser vencida e conquistada. Um imenso estoque de terras a se tornarem pastos pouco produtivos, campos de soja e espécies vegetais para combustíveis alternativos ou então uma fonte inesgotável de madeira, peixe, ouro, minerais e energia elétrica. Continuamos um povo irresponsável. O desmatamento e o incêndio são o símbolo da nossa incapacidade de compreender a delicadeza e a instabilidade do ecossistema amazônico e como tratá-lo.


Um país que tem 165.000 km2 de área desflorestada, abandonada ou semi-abandonada, pode dobrar a sua produção de grãos sem a necessidade de derrubar uma única árvore. É urgente que nos tornemos responsáveis pelo gerenciamento do que resta dos nossos valiosos recursos naturais.


Portanto, a nosso ver, como único procedimento cabível para desacelerar os efeitos quase irreversíveis da devastação, segundo o que determina o § 4º, do Artigo 225 da Constituição Federal, onde se lê:


"A Floresta Amazônica é patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais"


Assim, deve-se implementar em níveis Federal, Estadual e Municipal A INTERRUPÇÃO IMEDIATA DO DESMATAMENTO DA FLORESTA AMAZÔNICA. JÁ!


É hora de enxergarmos nossas árvores como monumentos de nossa cultura e história.


SOMOS UM POVO DA FLORESTA!




ASSINE : http://www.amazoniaparasempre.com.br/


video

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

███████████

Pessoal, venho aqui explicar uma coisa.
Algumas pessoas que estão lendo meus poemas, têm me elogiado e tals, porém, dizem que meus poemas são TODOS tristes.
Pois é, tenho que admitir uma certa melancolia neles sim.
Infelizmente isso é uma praga, meus poemas são assim mesmo.
Gosto de escrever textos que passem emoção.
Bom, só vim explicar aqui o motivo.
E como não poderia deixar de ser.
Brindá-los com mais um.
He, he, he.


FELICIDADE?

Se fiquei a acreditar em alegrias
Caí tão alto que quebrei minhas asas
E ouvi tantas dores me chamarem
Mas é tão puro e tão lindo estar-se só
E ao mesmo tempo é tão sujo e tão feio sentir-se assim
Sei que as pessoas vêm e vão
Sei que vou parar em algum lugar
Só não queria que demorasse tanto
Nobre sentimento este
Que desafia os mais altos clamores de perdão
Que bate tão forte quanto um relâmpago
Minhas pernas tremem tanto, e não se mexem.
Por isso não corro há tempos
Por isso não vivo mais
Sei aonde isso tudo vai dar
Algum dia o resultado será óbvio
E aí sim, serei feliz outra vez.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

FELIZ NATAL!!!!!!!

Hoje venho aqui para desejar a todos um Feliz Natal, repleto de amor, alegria, felicidade, paz, saúde e etc e tal........



Que os Deuses permitam que todos nós sejamos mais generosos uns com os outros.



Que o espírito natalino esteja presente em todos os lares.



Que a PAZ seja total!!!!!


domingo, 23 de dezembro de 2007

...........

"PERDIÇÃO".

Amigos tão difíceis
Tão raros e preciosos
Eu não sei porque
Tão puros e eu tão complicado
Não sei porque, não sei porque.
Pra que isto?
Sofrer sem se sentir
Sentir sem se falar
Falar sem se fazer escutar
Escutar sem questionar
Pra onde quer que eu olhe
Só espero o momento de amar
Desse lugar já não lembro mais de nada
Estou cansado de pensar
Cansado de pedir
Minhas forças já não mais agüentam
Minha própria voz já é rouca
E, tudo é tão confuso.
Amigos, cabeça complicada demais.
Amigo? Será?
Explosões de sentimentos?
Idéias certas?
O tempo é sábio
Eu espero que ele me diga
O que eu preciso e quero ouvir
Ou ficarei mais uma vez
Perdido em minha solidão

sábado, 22 de dezembro de 2007

VÍDEO ELUCIDANTE.

Aí galerinha, já coloquei esse texto aqui no Blog, é só dar uma olhada nas postagens mais antigas.
Agora resolvi colocar o vídeo blz?

Espero que prestem atenção e "ENTENDAM" o vídeo.


video

♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫

Vou postar a letra de uma música que eu acho muito foda, só não vou postar o clipe agora pois não estou com saco, quem sabe um dia...

O Vento - Los Hermanos.

Posso ouvir o vento passar,
assistir à onda bater,
mas o estrago que faza vida é curta pra ver...
Eu pensei..
Que quando eu morrer
vou acordar para o tempo
e para o tempo parar:
Um século, um mês,três vidas e mais
um passo pra trás?
Por que será?...
Vou pensar.
Como pode alguém sonhar
o que é impossível saber?
Não te dizer o que eu penso
já é pensar em dizer
e isso, eu vi,o vento leva!
Não sei mais
sinto que é como sonhar
que o esforço pra lembrar
é a vontade de esquecer...
E isso por que?
Diz mais!
Uh... Se a gente já não sabe mais
rir um do outro meu bem então
o que resta é chorar e talvez,
se tem que durar,
vem renascido o amor
bento de lágrimas.
Um século, três,
se as vidas atrás
são parte de nós.
E como será?
O vento vai dizer
lento o que virá,
e se chover demais,
a gente vai saber,
claro de um trovão,
se alguém depois
sorrir em paz.
Só de encontrar... Ah!!!

Meio melancólico eu sei.... ¬¬'

DÚVIDAS

Já que tudo é em vão
E há apenas falsas mãos atadas
Quando tudo aquilo que acreditamos é sujo
E há morcegos no lugar de cisnes
E vultos no lugar de almas
Apenas o começo é que importa
Se existe ou não o bem e o mal
E que raios caiam sobre nossas cabeças
Se tudo aquilo que já importou se transformou
Se tudo aquilo que falamos se deslocou
Um mundo onde não há verdades
E que os anjos tenham piedade
E orem por meios benéficos
Felizmente são anjos que nos deixam viver
Infelizmente são poucos que nos deixam morrer
Armas latentes e ferventes que deslizam
Pela carne podre de nossas vidas
E tudo é falso, e tudo é belo.
E é tão simples o jogo
Onde as regras já sobrepujam seus jogadores
E onde a maior vitória é a derrota
Realizaremos então a tão sonhada eternidade
Onde a serenidade é absoluta
E ninguém ousa infringir nenhum dogma
O que mesmo quer dizer fé?
O que mesmo quer dizer lutar?
Queremos tanto algo que não existe
E mesmo assim existimos por absoluto
Silêncio, pois ninguém sabe nem procura.
Que respostas benditas são essas
Que maldizem tantas pessoas?
Um outro plano que vem nos buscar
Segundas chances sem segundas intenções
Que será que dizem os que estão lá?
Não há fim para isso
Não há dignidade além disso
Não há verdade fora disso

Mais uma.....

A PASSAGEM

Aqui, nesse lugar estranho.
Eu fico para trás, sozinho.
Sentindo-me impotente diante desse vazio
Nenhum vento, nenhuma nuvem, nenhum atalho, nenhum ser vivo.
Nada além de paredes que parecem de cristal
Com pontas agudas prontas a atacar
Tudo isso, assentam contra mim seu inabalável poder.
Na tensão entre meu medo e estes
Está o lugar de onde eu deveria tirar forças
A realidade é o silêncio a que tudo retorna
A razão e a alma funcionam como uma mera nevasca
A consciência da ausência de significados é assustadora
Comparável ao reconhecimento da minha própria transparência
Os pensamentos turvos, mais do que o mar ou o céu.
Colocam diante de mim um espelho frio e claro
Em que posso ver minha verdadeira essência
E vejo...
Silêncio completo, clareza integral, um nada, um vazio sem vida nem som.
Que traz em si toda a vida e todos os sons
Mas enquanto o meu “eu” se conscientiza do vazio e se mantém alheio a ele
Minha vida se esvai como um espelho estilhaçado ao chão

domingo, 16 de dezembro de 2007

O LIVRO DOS DIAS

" Quando a luz atinge um cristal, cada um de seus muitos lados reflete uma diferente cor. Quando andamos nas luzes de nossas vidas, também o coração humano acende e irradia emoção, maravilhosamente variada. Ser humano é ser passionalmente vivo. Ser humano é abraçar cada e toda experiência com o coração aberto. Ser humano é se expressar corajosamente. As cores da emoção cintilam dentro de nós, constantemente mudando, constantemente movendo; cores de beijos de despedida, de desejos, todos grandiosos, de tempo roubado, de medos profundos, as cores do lago sagrado, do fim de nossas jornadas, as cores dos corajosos suficientes para seguir, as cores da Divindade, da esperança, do desespero, do amor.Somos tudo isso e mais. As cores do cristal. As cores do coração. Com paixão...sentimos...vivemos."

Roma Ryan

♪♫♣♠♥♦♂♀


CORREDOR DA MORTE

Eu não sei se posso acreditar
No que vi e no que estou vendo
Minha cabeça agora grita
E meus ouvidos já não ouvem mais nada
Por todos com quem vivi
Escrevo meu próprio fim
A alegria de poder contar
Esta história que relembrará
Dias a fio de sofrimento
Deveras culpado para voltar
Agora minto a todo o momento
Algum lugar em que eu possa dar
Depoimentos a serem julgados
E condenados; eu não vou suportar.
Injusta justiça que condena
Passos, andanças recriminadas.
E palavras jamais ditas
Ouvem-se ecos desesperados
Procurando algum canto
Onde, talvez um dia.
Possam encontrar ela...
A palavra que não sabem ao certo se existe
Esperança!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Crazy.................... ¬¬'

2ºD3 Segurança do Trabalho.

Estamos em férias, e já estou com saudades dessa loucura, só da loucura hehehe...



domingo, 9 de dezembro de 2007

SIMON & GARFUNKEL lol

Aê galera, hoje vou postar o clipe da música "The Sound Of Silence" do Simon & Garfunkel, este foi o último show da dupla antes da separação. A música é foda, vale a pena assistir.
Ah, e tem também a letra aí para quem quiser aprender. Bye.


video

The Sound Of Silence -Simon & Garfunkel

Composição: Paul Simon


Hello darkness, my old friend,

I've come to talk with you again,

Because a vision softly creeping,

Left its seeds while I was sleeping,

And the vision that was planted in my brain

Still remains

Within the sound of silence.

In restless dreams I walked alone

Narrow streets of cobblestone,'

Neath the halo of a street lamp,

I turned my collar to the cold and damp

When my eyes were stabbed by the flash of a neon light

That split the night

And touched the sound of silence.

And in the naked light I saw

Ten thousand people, maybe more.

People talking without speaking,

People hearing without listening,

People writing songs that voices never share

And no one dared

Disturb the sound of silence.

"Fools" said I, "You do not know

Silence like a cancer grows.

Hear my words that I might teach you,

Take my arms that I might reach you.

"But my words like silent raindrops fell,

And echoed

In the wells of silence

And the people bowed and prayed

To the neon god they made.

And the sign flashed out its warning,

In the words that it was forming.

And the sign said, "The words of the prophets are written on the subway walls

And tenement halls."

And whisper'd in the sounds of silence.

LUTO.

Hoje estou aqui para homenagear uma colega minha que se foi.

E por mais que não nos falássemos há anos, sinto tanto, mas tanto, que dói.......dói muito.





R.I.P. (Rest In Peace)

Você, que hoje não está mais aqui
Deixou tantas marcas, tantas graças.
Esquecer-te é uma tolice
Chorar é o que nos resta
Você, que nos deu tantas felicidades.
Que com seu sorriso a todos iluminava
Estará iluminando seres alados?
Você, que encantou os Deuses.
Espalhou amor e amizade
Perpetuou sua presença em cada coração
Que agora, jazem machucados.
Você, anjo de pura beleza.
De luz, de esplendor.
Voa então para longe
Para o infinito
Cumprindo sua missão
Pena, não podermos mais ter-te.
Porém, anjo de Deus.
O consolo que nos resta
É acreditar, que onde quer que você esteja.
Estás feliz, bem feliz e melhor.
A você colega querida
Deixo minha singela homenagem
Do fundo de minha alma
Descanse em paz






Karen, onde quer que você esteja, esteja na paz dos Deuses.








segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Aê pessoal, que loko....

Aê galerinha, olha só que louco...




E só pra lembrar, eu já postei a poesia no Blog, mas vou postar novamente ok?

IDADE.

A solidão é a maior aliada
Quando tudo que se tem
É o nada
Quando o espelho já não mente mais
E você percebe que o tempo
Não volta atrás

Mas para quem já não tem nada
Nem esperança, nem fé ou risadas.
O tudo realmente não importa
Mesmo que se apagassem as linhas tortas
E como uma folha branca se pudesse pegar
Para poder começar um novo caminho a trilhar

Infelizmente já não há motivos para tal batalha
E que os Deuses perdoem essa terrível falha
Porém, se nem os olhos conseguem enxergar.
Talvez um sonho antigo a se resgatar
De que adianta agora pensar?
Bem melhor seria “deitar e calar”.