terça-feira, 7 de setembro de 2010

SAINT GERMAN

Bom, o texto que vou colocar aqui agora, eu tirei da revista Wicca nº59 da Eddie Van Feu.


Quem foi Saint Germain.

As vidas de Saint Germain remontam de um império que viveu na Era de Ouro há cinqüenta mil anos e chegam até os momentos decisivos da Revolução Francesa. Em toda a trajetória de sua vida, seu objetivo foi o de ajudar a Humanidade a percorrer um caminho de progresso e melhoria significativa em todas as áreas, permitindo que o homem atinja sua plenitude na saúde, prosperidade e paz. Esse objetivo se reflete em seus ensinamentos e em suas mensagens, que visam libertar os filhos da Luz.
Ele foi o sumo sacerdote no Templo da Chama Violeta no Continente de Atlântida, há treze mil anos. Através de suas invocações e de seu “Eu Superior”, sustentava um pilar de fogo, uma fonte de Chama Violeta cantante que atraía quem dela necessitava e aqueles que já estavam no caminho da Iniciação e do Mestrado. Essa chama libertava de situações escravizantes do corpo mente e alma, através do esforço pessoal e invocação ao Fogo Sagrado do 7º Raio. Para alguns, era visível como uma Chama Violeta viva. Para outros aparecia como uma luz “ultravioleta”. Outros ainda não podia vê-la, embora fossem inegáveis as poderosas vibrações de cura.

Saint Germain retornou como o profeta Samuel, grande líder religioso que atuou como profeta, sacerdote e último dos juízes hebreus, do século IX a.C.
Encarnou também como José de Arimatéia, pai de Jesus.

Foi o soldado Romano Albano, no século IV, que escondeu um sacerdote cristão fugitivo, sendo por ele convertido. Depois foi condenado à morte por ter-se feito passar pelo sacerdote, vestindo seu hábito para que ele pudesse fugir, tornando-se assim o primeiro mártir britânico. Saint Germain sempre combateu a tirania.

Uma de suas vidas mais marcantes para o nosso tempo foi na Corte do Rei Artur, onde foi Merlin, que viveu no século V ou VI na Inglaterra. Mago, vidente e conselheiro da corte do Rei Artur, inspirou a fundação da Ordem dos Cavaleiros da Távola Redonda.

Ao aconselhar e ajudar Artur a fundar o seu reino, Merlin procurou tornar a Grã-Bretanha uma fortaleza contra a ignorância e superstição, onde a realização Crística pudesse florescer e pudesse prosperar na busca do “Santo Graal”. Os seus esforços naquele tempo dariam frutos no século XIX, quando as ilhas britânicas se tornaram o lugar onde a iniciativa individual e a indústria puderam prosperar como nunca haviam feito em doze mil anos.

Também na Inglaterra, mas em 1220 a 1292, foi o filósofo, reformador educacional, cientista experimental e magista, Roger Bacon, investigador minucioso da alquimia, matemática e idiomas. (Já coloquei a biografia dele aqui no Blog). Ele previu a descoberta dos balões de ar quente, das máquinas voadoras, dos óculos, do telescópio, do elevador, de navios e carros de propulsão mecânica, escrevendo sobre eles como se os tivesse visto.

De 1451 a 1506, foi Cristóvão Colombo. Sua missão foi “descobrir” a América ,porque tinha saudade do outrora Foco do Raio Violeta, templo que ali existiu na civilização atlante e do qual foi um dos sacerdotes.

Finalmente, foi o príncipe Rakoezi ou Conde de Saint Germain, filho do último soberano da Transilvânia. Ele não podia usar seu nome verdadeiro por motivos políticos. Sua educação foi dado por um dos últimos dos Medicis em Florença. Era considerado um jovem elegante que demonstrava dignidade e cortesia. Era um excelente músico, compositor e cantor. Freqüentava festas e possuía a pedra filosofal. Era poliglota, a língua oriental era a que falava com muita facilidade. Atuou como Templário, Rosa Cruz, Franco Maçon, Alquimista e Filósofo.

A utilização do nome Conde de Saint Germain segundo Helena Petrovna Blavastky, foi pelo Mestre ter adquirido uma propriedade no Tirol Italiano, chamada Sant German.

Um comentário:

Skye disse...
Este comentário foi removido pelo autor.